STF autoriza diligências da PF em inquérito que investiga Pazuello

O ministro da Saúde negou omissão do governo na crise sanitária no Amazonas. Ele afirmou que não houve relato de falta de oxigênio.


Foto: Igo Estrela

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), acatou o pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para que a Polícia Federal realize diligências no inquérito que investiga eventual responsabilidade do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na crise de saúde pública de Manaus. A autorização foi concedida nesta segunda-feira (15/2).


Entre os pedidos, o ministro deu aval para depoimentos de funcionários do Ministério da Saúde e de Secretarias de Saúde do Amazonas e de Manaus; acesso a e-mails; informações sobre fornecimento e transporte de oxigênio; informações sobre gastos com distribuição de medicamentos para tratamento precoce e que não têm eficácia comprovada contra a Covid-19.


A investigação ouviu até o momento, só o ministro Pazuello. Ele negou omissão do governo na crise sanitária no Amazonas.


Pazuello também afirmou, no último dia 11, durante audiência no Senado, que não houve relato de falta de oxigênio no início de janeiro em Manaus.


Entenda

No último dia 29, por determinação de Lewandowski, a Polícia Federal abriu inquérito para investigar a conduta do ministro da Saúde na crise sanitária do Amazonas.


Na ocasião, Lewandowski atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), com base em uma representação apresentada pelo partido Cidadania. Com isso, Pazuello passou a ser formalmente investigado na Corte.


Caos no Amazonas

Até o momento o estado do Amazonas sente o caos na saúde pública, em decorrência da explosão no número de casos de Covid-19. Houve falta de oxigênio nas unidades de saúde, levando à morte pacientes que necessitavam de tratamento hospitalar para a doença.


Fonte: Metrópoles


0 comentário