Renan diz que ação contra ele no STF é “dispersão de foco” da CPI

Senadores acionaram o Supremo Tribunal Federal para pedir que a indicação do emedebista seja suspensa


Rafaela Felicciano/Metrópoles

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) criticou, nesta quinta-feira (29/4), as tentativas de parlamentares da base aliada ao governo federal de barrá-lo da relatoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid.


Os senadores Eduardo Girão (Podemos-CE), Jorginho Mello (PL-SC) e Marcos Rogério (DEM-RO) acionaram o Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir a suspensão do ato que colocou o senador emedebista na comissão.


“Dispersão do foco da CPI, não há nada contra mim. É evidente e flagrante. Eles [senadores governistas] assinaram requerimentos vindos do Palácio do Planalto”, disse a jornalistas antes de entrar na sessão que definirá o plano de trabalho do colegiado.

Os requerimentos citados por Renan Calheiros teriam sido produzidos para senadores governistas. Os documentos tratam de pedidos de convocação de cinco especialistas associados à defesa do chamado “tratamento precoce” ou a críticas ao lockdown. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo.


Documentos registrados na comissão mostram que em sete arquivos protocolados pelos parlamentares Ciro Nogueira (PP-PI) e Jorginho Mello (PL-SC) constam o nome de uma assessora da Secretaria Especial de Assuntos Parlamentares (SEAP), vinculada à Secretaria de Governo da Presidência da República. A pasta é responsável pela articulação política do Palácio do Planalto com o Congresso.

As informações estão presentes nos chamados “metadados” dos arquivos protocolados no Senado pelos parlamentares. Eles funcionam como uma espécie de RG de cada arquivo em um computador, e apresentam a data e o horário em que um arquivo foi criado, modificado, além do nome do autor.


Até a manhã desta quinta-feira (29/4), mais de 280 requerimentos de convocação de autoridades ou de pedidos de informação foram apresentados à CPI.


Relatoria ameaçada


Em outra estratégia, os parlamentares aliados ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) acionaram o Supremo Tribunal Federal (STF) contra a indicação de Renan para a relatoria da CPI da Covid.


O mandado de segurança será relatado pelo ministro Ricardo Lewandowski. A expectativa é de que a decisão saia ainda nesta quinta.


*Com informações do Metrópoles

0 comentário