Neymar desabafa: “Não sei mais o que faço para me respeitarem”

O atacante reclamou das críticas que tem recebido e pediu respeito aos repórteres e comentaristas


Os recordes alcançados com a camisa da Seleção Brasileira deixaram Neymar feliz, mas não impediram que ele fizesse um desabafo depois da vitória por 2 x 0 sobre o Peru. Depois de contribuir com um gol no triunfo no Recife e se tornar o maior artilheiro do Brasil na história das Eliminatórias, ultrapassando Romário e Zico, o atacante reclamou das críticas que tem recebido e pediu respeito.


“Não sei mais o que eu preciso fazer com essa camisa pra galera começar a respeitar o Neymar”, desabafou o camisa 10, em entrevista à TV Globo.


O desabafo foi feito depois de dizer que estava “muito feliz” por ter se tornado o goleador máximo do Brasil em Eliminatórias, com 12 gols, e estar mais perto de igualar Pelé como o maior artilheiro da história da Seleção Brasileira.


“Coletivo é o mais importante, sempre prezei isso. Ao mesmo tempo, fico muito contente de ser de ser recordista, artilheiro das Eliminatórias, ser o maior assistente com a camisa da Seleção Brasileira e logo menos, se tudo caminhar bem, passar o Pelé”, comentou. Neymar reclamou do tratamento da imprensa com ele. Nos últimos dias, especialmente depois da vitória sobre o Chile, em Santiago, o atacante foi criticado pela sua forma física. Nesta quinta, fez questão de exibir a barriga após marcar o segundo gol sobre os peruanos, algo que também fizera em treinamento antes do jogo com o Argentina, que acabou suspenso.


“Isso é normal. Já vem há muito tempo, de repórteres, comentaristas, e outros também. Às vezes eu nem gosto mais de falar em entrevistas, mas em momentos importantes eu venho falar”, reclamou.

Questionado sobre que tipo de desrespeito ele sente, o jogador disse que “todos”. “Deixo para a galera pensar um pouco aí”, falou. O camisa 10 levou o segundo amarelo e desfalca a Seleção Brasileira no próximo compromisso pelas Eliminatórias diante da Venezuela, no dia 7 de outubro.

Fonte: Estadão Conteúdo

0 comentário