Hospitais privados relatam falta de oxigênio e kit intubação

O novo levantamento da entidade aponta ainda as cidades onde a situação é mais crítica


Cerca de 75% dos 88 afiliados da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) têm garantido o abastecimento de oxigênio, anestésico e kit intubação por no máximo cinco dias. A associação relata que o quadro emergencial motivou uma estratégia das unidades para importar os produtos em falta. O novo levantamento da entidade aponta ainda as cidades onde a situação é mais crítica.


Segundo a Anahp, instituições de Belém (PA), Belo Horizonte (BH), Blumenau (SC), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), João Pessoa (PB), Porto Alegre (RS) e São Paulo (SP) estão com abastecimento crítico de oxigênio. Já em relação aos anestésicos, 23 hospitais participantes também contam com estoque inferior ou igual a cinco dias.


Estas unidade se localizam nas cidades como Atibaia (SP), Belém , Belo Horizonte, Bento Gonçalves (RS), Blumenau, Brasília (DF), Cuiabá (MT), Curitiba, Cariacica (ES), Ipatinga (MG), Joao Pessoa (PB) e Niterói (RJ), Porto Alegre , São Paulo e Serra (ES).


Sobre os medicamentos do “kit intubação”, anestésicos, sedativos e bloqueadores neuromusculares estão escassos em instituições de saúde nestes mesmos locais e nas cidades de Cariacica (ES) e Juiz de Fora (MG), totalizando 27 hospitais. Em nove unidades, não estão disponíveis ventiladores mecânicos em número suficiente.

0 comentário