Gabigol e Arrascaeta preocupam e Flamengo priorizará preparo físico

Quatro titulares deixaram o triunfo sobre o Corinthians reclamando de dores e, por isso, o clube focará na recuperação antes do Inter.


Crédito: Alexandre Vidal

Trabalhar para recuperar jogadores com problemas físicos deverá ser o principal foco do Flamengo nos dias que antecedem o duelo com o Internacional, domingo (21/2), no Maracanã, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. Afinal, quatro titulares deixaram o triunfo sobre o Corinthians reclamando de dores: Rodrigo Caio, Gabriel, Arrascaeta, Gérson e Bruno Henrique.


As situações que mais preocupam são as de Gabigol e Arrascaeta. O centroavante sofreu uma entorse no joelho esquerdo, enquanto o meia uruguaio reclamou de dores no tornozelo direito. Por isso, ambos vão passar por reavaliação no Ninho do Urubu.


Gabigol, inclusive, precisou ser substituído por Rogério Ceni durante o triunfo sobre o Corinthians para a entrada de Pedro, o favorito para assumir a sua vaga caso seja vetado pelo departamento médico. Já para o lugar de Arrascaeta, Vitinho e Michael são os principais candidatos.


Ceni, porém, acredita que ambos devem ser aproveitados diante do Inter. A situação é semelhante para Rodrigo Caio, Bruno Henrique e Gerson. E o próprio treinador destacou ser natural que os atletas convivam com dores, especialmente em momentos decisivos. “Esporte de alto rendimento é isso. As dores fazem parte do dia a dia. Tinha dia que eu levantava e o joelho não queria ir. Para ser campeão, tem que ser assim”, disse.


O confronto do próximo domingo terá ares de decisão antecipada do Brasileirão, pois envolve os dois primeiros colocados, com o Inter em vantagem de um ponto – 69 a 68 – e podendo ser campeão em caso de vitória. Mas o Flamengo vai ultrapassá-lo caso ganhe, o que o levaria a chegar à rodada final em ótimas condições na briga pelo bicampeonato nacional.


“Nosso time joga em busca da vitória sempre. O Flamengo não sabe jogar para empatar. Desde sempre, é um time que joga ofensivamente. Jogar pela vitória não é novidade, mas ser obrigado a vencer é uma pressão a mais. Aqui no Flamengo, independentemente da situação, jogamos sempre pela vitória”, disse.


Fonte: Metrópoloes

0 comentário