"Encontramos a Seturce sem nenhuma estrutura", afirma Felipe Eduardo

Secretário concedeu entrevista para a Rádio Angiquinho, nesta segunda-feira (29)


Foto: Ascom

O secretário de Turismo, Cultura e Esportes (Seturce) , Felipe Eduardo, concedeu entrevista nesta segunda-feira (29), ao programa Radar, apresentado por Ozildo Alves. Vários temas foram abordados, mas o que chamou atenção foi as informações repassadas no processo de transição.


Felipe disse que o processo de transição não foi satisfatório e que encontrou a Seturce sem nenhum tipo de estrutura. "A Secretaria estava numa sala, no prédio da prefeitura, sem nenhum espaço disponível para o desenvolvimento das atividades. Ao assumir, fomos estruturando, alugamos um espaço e as coisas foram se acertando nesses três primeiros meses", afirmou.


O secretário também pontuou que vários documentos não foram encontrados e que os espaços que pertencem à pasta, foram aos poucos sendo estruturados. "O Memorial de Delmiro Gouveia estava funcionando com Central de Triagem. Em parceria com Geonice, a estrutura foi colocada em outro local e devolvemos o espaço dos que produzem cultura, mesmo em tempos tão difíceis e de distanciamento social", abordou.


Apesar das atividades da pasta estarem praticamente paralisados, por conta da pandemia, o secretário informou que os trabalhos não pararam. "Estamos acompanhando a construção do ginásio no Distrito de Barragem Leste. Outro ponto é o estádio de futebol, onde a prefeita conseguiu a prorrogação do prazo de início da obra para 2023 e em breve, vai ser uma realidade", pontuou.


Quando o assunto foi o Turismo, o entrevistado citou um mapeamento de várias localidades e revelou que os documentos referentes ao espaço da Usina Angiquinho foram perdidos. "Ao assumir a pasta, não foi encontrado. Tivemos que encontrar em contato com a Chesf e solicitar, afinal de contas, temos o interesse de em breve, voltar com aquele importante espaço que conta a história da nossa cidade", enfatizou.

0 comentário