Bolsonaro critica ‘superpoderes’ dados pelo STF a estados e municípios

Presidente também voltou a atacar o governador de São Paulo, João Doria, e o chamou de "patife"


Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro criticou neste sábado (10), em transmissão nas redes sociais, durante visita a uma comunidade de refugiados venezuelanos no Distrito Federal, o que chamou de “superpoderes” dados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a estados e municípios no combate à pandemia da Covid-19 no Brasil.


No vídeo, Bolsonaro diz que “respeita a Constituição”, mas “lamenta os superpoderes do Supremo Tribunal Federal (STF) de dar liberdade aos governadores dos Estados para decidirem sobre lockdowns.


“O pessoal que me acusa de ditador nunca viu uma palavra minha, um só gesto, que eu fugisse de uma só palavra da Constituição. Os que me acusam fogem da Constituição. Essa política de lockdown, toque de recolher… Sergipe permite o confisco de propriedade privada. Eu sou o ditador? Tudo tem um limite. Eu e todo o meu governo estamos ao lado do povo. Não abusem da paciência do povo brasileiro. Lamento os superpoderes que o STF deu a governadores e prefeitos para fechar salas, igrejas de cultos religiosos, é um absurdo dos absurdos, a constituição não vale mais, vale o decreto do governador”, disse o presidente.


Ainda nas críticas ao STF, isolamento social e as medidas restritivas, Bolsonaro também voltou a atacar o governador de São Paulo, João Doria, chamando-o de “patife”.


“É difícil viver em um país onde um governador como o de São Paulo com um decreto qualquer fecha tudo. Quase tudo em São Paulo está passando o ponto ou fechando. Em São Paulo, quem planta tomate, não está plantando mais. Quando voltar a abrir, ô governador, o preço do tomate vai lá pra cima, aí vai colocar a culpa em mim, igual esse patife em São Paulo, que usou o meu nome para se eleger”, disse Bolsonaro, alegando que o objetivo de Doria é “quebrar São Paulo e o Brasil pra depois apontar um culpado”.


Fonte: Bahia ba

0 comentário